É difícil encontrar uma mulher que nunca se queixou de celulites pelo corpo. Os temidos “furinhos” estão presentes na vida de muitas de nós, bem como as dúvidas sobre como evitar que eles apareçam e a melhor forma de se ver livre deles, por isso preparamos esse texto para esclarecer tudo!

Antes de tomar qualquer medida de prevenção ou de escolher uma linha de tratamento, é importante entender o que são e a razão do aparecimento das celulites. Elas se caracterizam pelo aspecto ondulado da epiderme, lembrando uma casca de laranja, e nada mais são do que depósitos de gordura embaixo da pele. Costumam aparecer em áreas do corpo em que a gordura está sob a influência do estrógeno (hormônio feminino), por isso são comuns nos quadris, coxas e nádegas.

Mas por que aparecem?

Agora você deve estar se perguntando o motivo dos benditos “furinhos” escolherem logo você! As causas são diversas, podendo ser hereditárias (sexo, etnia, biotipo corporal e distribuição de gordura); estar relacionadas a problemas circulatórios; alterações hormonais (principalmente de estrógeno, insulina e catecolaminas) e ao estilo de vida, especialmente pela má alimentação, sedentarismo, estresse excessivo e fumo.

Para saber o tratamento adequado, é fundamental conhecer a causa do aparecimento da celulite e também avaliar o grau em que ela se encontra. Isso deve ser feito durante uma consulta com seu médico dermatologista, que irá observar o número de celulites e a profundidade das depressões, a presença de lesões elevadas e seu aspecto e se elas estão acompanhadas de flacidez. Somente depois de fazer esse levantamento e de conhecer os hábitos de vida do paciente, que o dermatologista poderá indicar o melhor caminho a seguir.

Como prevenir e amenizar a celulite?

Tratamentos que estimulam a produção de colágeno podem ser bastante efetivos na redução dos “furinhos”. Contudo, qualquer procedimento precisa ser feito em conjunto com uma alimentação equilibrada e prática regular de atividades físicas. Além disso, deve ser realizado com certa periodicidade ao longo do ano, a cada 3 ou 4 meses. Tratamentos “de verão”, feitos uma vez por ano, não resolvem o problema.

Lembre-se que o ponto de partida para escolher o melhor tratamento deve ser o motivo pelo qual a celulite começou a surgir. Por exemplo, se você não tem retenção de líquidos ou problemas de circulação, não faz sentido realizar uma drenagem linfática para eliminar celulites. Portanto, não se esqueça: é preciso focar o tratamento na causa do problema!

Um paciente com celulite devido à gordura localizada pode ter bons resultados com uma intradermoterapia. Porém, cada caso precisa ser avaliado individualmente, até porque as possibilidades são diversas e podem ser combinadas entre si ou associadas com cremes que atuam como coadjuvantes nos tratamentos estéticos.

Entre os tratamentos com efeitos mais duradouros estão a subcisão, a radiofrequência e a aplicação de bioestimuladores de colágeno, como o ácido polilático. Lembre-se que o dermatologista é o médico indicado para orientar e realizar procedimentos que envolvem o cuidado com a pele.

Dra. Carolina Ferolla, Dermatologista (CRM-SP 91139)

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia