O preenchimento estético, que anda em pauta nos noticiários atualmente, é um tratamento que auxilia no rejuvenescimento ou remodelamento de algumas áreas do corpo e rosto, através do uso de substancias denominadas preenchedores. Apesar de não necessitar de sedação ou cirurgia, ele necessita ser realizado em um consultório médico, por ser invasivo e exigir alguns padrões de segurança e em alguns casos, anestesia local.

No Brasil, o preenchedor mais usado é o Ácido Hialurônico, ativo rico em propriedades hidratantes e estimulantes de colágeno, e com a menor capacidade de causar reações alérgicas. Esse ativo consegue fazer a sustentação, preencher e hidratar a área em que foi aplicado. Por ser apontado como um hidratante natural, o ácido hialurônico não oferece rejeição, pois ele é um componente natural da pele.

Quando a área a ser tratada é uma parte do corpo, quase sempre são necessárias grandes quantidades de preenchedores, tornando o Ácido Hialurônico, uma opção cara e inviável. Neste momento, alguns profissionais com má formação podem preferir usar o PMMA (microesferas de acrílico), que apesar de ser mais barato, só está autorizado a ser usado em pessoas portadoras do vírus de HIV/Aids, para corrigir a lipodistrofia – conjunto de alterações que ocorrem na distribuição da gordura abaixo da pele – causada pelos antirretrovirais.

O PMMA além de ser permanente, ele se espalha pelo corpo, o que torna sua remoção praticamente impossível, caso haja algum erro, e aumenta o risco de infecções em diferentes partes do corpo.

OUTROS TIPOS DE PREENCHEDORES SEGUROS

Mas além do ácido hialurônico, existem outros preenchedores bastante utilizados no Brasil, como:

– Ácido Polilático: capaz de induzir a produção de colágeno, diminuindo a flacidez da pele do rosto e pescoço;

– Hidroxiapatita de Cálcio: uma excelente alternativa para solucionar a perda de volume de áreas como a maçã do rosto ou as mãos;

QUAL PROFISSIONAL PODE APLICAR PREENCHEDORES

Independentemente do tipo de preenchimento a ser utilizado, é de extrema importância que ele seja aplicado em um consultório e por um médico cirurgião treinado e capacitado para aplicá-lo, essa é a recomendação da Associação Médica Brasileira (AMB) e o Conselho Federal de Medicina (CFM), para garantir a segurança do paciente, antes durante e após o procedimento, além de certificar a qualidade do atendimento. O médico responsável pelo tratamento deve solicitar ao paciente exames prévios, para entender como esse organismo trabalha e irá receber a substância que futuramente será aplicada.

Médicos que se auto intitularem como especialistas em medicina estética estão enganando seus pacientes, pois o termo “medicina estética” não é identificado pelas instituições médicas.

DURAÇÃO DO PREENCHIMENTO

A duração do preenchimento depende de pessoa para pessoa, mas a técnica utilizada na aplicação e área, do rosto ou corpo, que recebeu o ativo, também influenciam no tempo que ele fica aplicado no corpo.

QUANDO OS RESULTADOS APARECEM

O ácido hialurônico apresenta resultados imediatamente à aplicação. Após os três primeiros meses o efeito diminui, mas por conta da produção de colágeno, estimulada pelo procedimento, o volume logo volta a aparecer. Outros preenchedores necessitam de 2 a 3 sessões para começar a apresentar resultados.

EXISTE RISCO NA APLICAÇÃO DE PREENCHEDORES?

Não, desde que realizado de maneira correta. Após o procedimento, a área que recebeu o ativo pode apresentar vermelhidão e inchaço, que após alguns dias vão desaparecer. Outro efeito, que em alguns casos pode surgir, é o endurecimento da região, que irá desaparecer após 14 dias.

Se durante o procedimento houver o contato da agulha da aplicação com algum vaso, podem aparecer pequenos hematomas que somem em pouco tempo. Por isso, novamente a importância do processo ser realizado por um especialista totalmente habilitado.

Caso o procedimento seja realizado por um profissional que não tenha experiência em sua execução e não seja médico, a Sociedade Brasileira de Dermatologia, alerta que podem acontecer diversas complicações após a realização do preenchimento. Necrose da pele, infecções, cegueira e até mesmo óbito são alguns dos resultados que o paciente pode obter.

CONTRA INDICAÇÕES PARA O USO DE PREENCHEDORES

Gestantes, mulheres que estejam amamentando, portadores de doenças autoimunes ou de transtornos comportamentais não devem realizar procedimentos com preenchedores. Pessoas que usem anticoagulante ou tenham distúrbio de coagulação também não devem receber aplicação de preenchedores.

Caso o paciente já tenha realizado aplicação de PMMA, ele não deve em hipótese nenhuma realizar novos preenchimentos com ácido hialurônico, pois isso pode acarretar reação adversa.

Antes de realizar qualquer procedimento, sempre procure um dermatologista credenciado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, pois ele é capacitado para tirar todas as suas dúvidas e garantir a sua segurança na realização dessa ou qualquer outra intervenção.

Dra. Carolina Ferolla
Dermatologista CRM-SP 91139
RQE Dermatologista: 25722